segunda-feira, março 31, 2008

Estou fazendo mais carinhas.
Elas estão cada vez melhores, bons leit@res.
O menininho de baixo veio aqui em casa ficar com mamãe e borrou uma de minhas carinhas, enquanto fui nadar.
Quando cheguei fiquei furioso, porque achei que não fosse mais encontrar a mistura de tintas que reproduzisse a cor original.
Então, fiquei gritando, minha mãe pedindo calma.
- Como ter calma, mãe?? Estragou minha carinha!!!!
- Mas calma, Luís, o vizinho de baixo é muito bom...
Depois que gritei bastante, fiquei calmo e fui experimentar misturar as tintas.
Dei meu jeito, não consegui a cor primeira, mas fiquei satisfeito com o conserto.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

sábado, março 29, 2008

Terminei de pintar um quadro pro Edil.
São as carinhas.

Aos poucos elas vão ficando diferentes, vou melhorando o pincel, as cores, e elas estão mais bonitas, mais ousadas.
Não tenho as fotos dessas.
Agora vou tomar um banho, comprar um vinho e almoçar...

quarta-feira, março 26, 2008

Eu e Pedro, no dia de meu níver, em Itaipuaçu




Depois da festinha de meu níver, fui com Pedro, quando amanheceu pra nós, em Itaipuaçu.
Pedro adorou e é, de verdade, um lugar muito lindo.
Isso foi no domingo e, depois, vieram dias chuvosos que não me dão vontade de sair de casa.
Não vou me sentir culpado.
Vou terminar de ler o livro que Vivianne me deu.

terça-feira, março 25, 2008

Mais fotos do Edil


Eu


Altivo, Claudia, Teresa e a amiga dela


Eu





Servio Tulio e Kali C.
Estou muito contente por meu livro Rato ter entrado na relação de livros a competir na copa de literatura http://copadeliteratura.com
Eu me lembro de ser ainda um garoto e estava na sala de um coleguinha a esperar que ele viesse me receber e saíssemos para brincar no quintal, quando surgiu, ao invés dele, sua irmã, uma menina de cabelos enroladinhos e loiros.
Ela entrou pela sala, saída do quarto, sonolenta, disse oi e ficou por ali comigo esperando o irmão, que, depois, veio e levou-nos para o quintal, onde ficamos catando bichinhos que colocávamos, vorazes, dentro de uma caixa de sapatos.
Nós fazíamos aquilo cheios de empenho, mas, comigo mesmo, eu tinha achado tão impressionante o fato daquela menina ter entrado na sala dizendo oi, generoso leit@r, a sua aparição, saída do quarto e entrando na sala dizendo oi foi tão bonita e chocante, que minha impressão foi a de ter ouvido oi, pela primeira vez, naquele dia.
Eu devia ter meus treze anos.
Eu me lembro de outras palavras, que muito tempo antes, ouvi pela primeira vez e que ficaram circulando ao meu redor como circula a brisa por minha janela.
Oi ficou assim como a brisa, que em meu vale nunca para de correr.
Então...
Entrar na copa literária será como entrar na sala gritando:

alooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!!!!

segunda-feira, março 24, 2008

4 fotos que Edil tirou de meu níver:

Eu

Pedro e Kali

Pedro e Marilu

Eu

Ruth me deu um anjinho negro de presente de aniversário.
Mamãe disse:
- Que lindo! Nunca tinha visto um anjo negro!
- Espero que lhes dê sorte – Ruth disse.
Em meu churrasco, que Pedro promoveu, mamãe estava sisuda.
Disse:
- Eu e Luís somos amigos apenas, não somos mais mãe e filho – então meus amigos ficaram surpreendidos na festa. Quiseram saber o que tava rolando e me colocaram contra a parede para que eu explicasse a maluquice.
Mamãe mesmo não deu qualquer explicação e claro que eu não sabia explicar!

E aí desenrolou-se uma série de comentários na tentativa de nos explicar. Tudo em vão.
E, depois de hesitar um pouco, eu disse:
- Isso não é verdade. Somos mãe e filho, sim. Nossas mãos são iguaizinhas, vejam! – e coloquei minhas mãos emparelhadas com as mãos de mamãe, que continuou e continua negando sua maternidade ainda agora, na segunda-feira.
Que coisa!

domingo, março 23, 2008

Meu Níver!
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!

quinta-feira, março 20, 2008

Éramos adolescentes, nos anos 80, quando Edil me mostrou sua poesia:
ESTAÇÃO FECUNDA

Não devia ter me deitado com teu corpo.
Acabei me lembrando que quero morrer disso.
E não devia ter me lembrado, não podia
eu, que já seguia seguro esse caminho
em que se adoece aos poucos.
em que se entrava os pés com espinhos.
Já me acostumara a estar sozinho;
não devia ter me lembrado de que preciso do outro.
Não podia ter me dado esse tormento
Não podia ter me dado esse prazer imenso de redescobrir como se faz um ninho.
de inaugurar esse momento colocando um ovo.
Me aconchego por debaixo do cobertor
procuro sentir seu cheiro, sua umidade, sua musculatura
e me descubro gravitando numa estação fecunda
onde sou eu um dos gêmeos alegres e univitelinos
onde você é meu irmão de corpo & alma
e onde o amor é esta estação
de onde se nasce de novo
e se naufraga.
Postado por EDIL CARVALHO


Eu, então, quis fazer-lhe minha réplica:
ESTAÇÃO FEBRIL por Luís Capucho


Não pude evitar que eu também quisesse colocar meu ovo.
Fiz com as luzes apagadas.
Esperei que chegasse a madrugada e quando os galos começaram a cantar muito longe, botei.
Não havia para mim nenhum significado em colocá-lo:entre minhas cobertas e pernas era só o que me faltava.
Repeti o prazer até o terceiro ovo.
Não pude evitar que me viessem imagens de outros homens
colocando seus ovos
e me pareceu que somente isto lhes faltava,
que nada mais os aproximaria de mim
senão esse momento de colocarem os ovos.
E que também nada mais nos bastaria, a cada um,senão os nossos próprios ovos.
Os galos cantavam muito longe.
As luzes estavam apagadas.
Naquela noite eu podia dormir tranquilo:
tinha fundo.

E ele avisou-me que botaria em seu blog, ontem:
http://sanguecentelha.blogspot.com/
Hoje, botei aqui...

quarta-feira, março 19, 2008

Comecei a nadar no ano de 2000 e meus progressos físicos foram tão bons que recebi alta da fisioterapia.
Foi o Marcio quem conseguiu uma bolsa com a Fernanda e comecei nadando terça e quinta. Eu curtia tanto e minha alegria era tanta que a Fernanda disse:
- Se você quiser, venha todos os dias – e foi isso que fiz.
A piscina mudou de dono e mantiveram minha bolsa.
Outra vez, a piscina mudou de dono e, nessa semana, pediram que, para um bolsista, eu nadasse apenas nas terças e quintas, como no início.
Ficou ótimo assim.

Encontrei um jeito de tocar O Amor é Sacanagem que está me agradando.
Se tento tocar como era tocada antes, não fica bom, porque perdi a alguma destreza de minha mão esquerda.
Por isso, fiz alterações nos acordes e na batida, e ela ganhou uma novidade agradável, atualizou-se.
Isso é muito bom e coincidiu com o fato de eu ter agendado para o dia 13 de abril um showzinho no Casarão da Clara, onde penso em inseri-la no repertório.
Será um show que dividirei com o compositor e músico Naldo Miranda.
Muito bom!

Faremos uma festinha de meu níver, na casa do Pedro, no sábado. Faço aniversário no domingo, mas comemoraremos dia 22. Todos meus generosos leit@res estão convidados, tragam algo assável, pls.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
!

terça-feira, março 18, 2008

Mais sobre a copa:
http://www.digestivocultural.com/blog/post.asp?codigo=1572
Depois de três dias de chuva, sol em Nikity City.
O Rato voltou a atacar. Arrumei veneno com Teresa.
É um rato enorme, desajeitado.
Pela manhã, os vidros e latas que mamãe mantém em nossa área, estão todos esparramados no chão.
Pedro, meticulosamente, ajeitou o veneno na cumeeira, que é por onde o bichano tem acesso à nosso lar.
É um rato que vem do céu, bom
leit@r...he he he!

segunda-feira, março 17, 2008

Sobre a copa:

http://diplo.uol.com.br/2008-03,a2272

O Rato entrou para a copa!


O rato entrou para a Copa de Literatura, bons leit@res.

Torçam comigo e obrigado pelo voto!
Ele estará no terceiro jogo:
http://copadeliteratura.com/

Vejam a lista dos votos:

Que livros devem participar da CLB 2008?

O filho eterno, de Cristovão Tezza (Record) - 121 votos
Rato, de Luís Capucho (Rocco) - 121 votos
O sol se põe em São Paulo, de Bernardo Carvalho (Companhia das Letras) - 117 votos
Contramão, de Henrique Schneider (Bertrand Brasil) - 114 votos
O pianista do Silencioso, de Carlos Nealdo dos Santos (Edufal) - 110 votos
Rakushisha, de Adriana Lisboa (Rocco) - 97 votos
Cão de cabelo, de Mauro Sta. Cecília (Língua Geral) - 95 votos
Maisquememória, de Marcelo Backes (Record) - 93 votos
Era no tempo do rei, de Ruy Castro (Alfaguara) - 93 votos
Música para quando as luzes se apagam, de Ismael Caneppele (Jaboticaba) - 89 votos
O dia Mastroianni, de João Paulo Cuenca (Agir) - 87 votos
Lugares que não conheço, pessoas que nunca vi, de Cecília Gianetti (Ediouro) - 82 votos
Sonho de uma noite de verão, de Adriana Falcão (Objetiva) - 82 votos
Os insones, de Tony Bellotto (Companhia das Letras) - 81 votos
Toda terça, de Carola Saavedra (Companhia das Letras) - 78 votos
A guerra dos bastardos, de Ana Paula Maia (Língua Geral) - 78 votos
Na multidão, de Luiz Alfredo Garcia-Roza (Companhia das Letras) - 77 votos
Desamores, de Eduardo Baszczyn (7Letras) - 68 votos
O amor não tem bons sentimentos, de Raimundo Carrero (Iluminuras) - 66 votos
A copista de Kafka, de Wilson Bueno (Planeta) - 63 votos
Purgatório, de Mario Prata (Planeta) - 62 votos
A chave de casa, de Tatiana Salem Levy (Record) - 58 votos
Virgínia Berlim, de Luiz Biajoni (Os Viralata) - 56 votos
Tudo que você não soube, de Fernanda Young (Ediouro) - 49 votos
Dante no inferno, de Rubens Costa (Garamond) - 45 votos
Olhos baixos, de Maria Helena Nascimento (Guarda-Chuva) - 42 votos
Um Silva de A a Z, de Celso Freire (Alpharrabio) - 42 votos
A muralha de Adriano, de Menalton Braff (Bertrand Brasil) - 39 votos
Olympia, de Fausto Wolff (Leitura) - 38 votos
Louca por homem, de Claudia Tajes (Agir) - 38 votos
Corrida do membro, de Ubiratan Muarrek (Objetiva) - 37 votos
Entre as mulheres, de Rafael Cardoso (Record) - 37 votos
O homem dos sonhos, de Tatiana Maciel (Agir) - 36 votos
Reviravolta, de Gustavo Bernardo (Rocco) - 36 votos
Antonio, de Beatriz Bracher (34) - 35 votos
Quadrondo, de Domingos Pellegrini (Record) - 34 votos
As rapaduras são eternas, de Carlos Heitor Cony e Anna Lee (Galera Record) - 32 votos
Falta um cão na vida de Kant, de Fernando Reis (Objetiva) - 32 votos
Babel Babilônia, de Nelson de Oliveira (Callis) - 31 votos
Operação P-2, de Olivia Maia (Os Viralata) - 30 votos
Réquiem, de Vera de Sá (Record) - 29 votos
Morte no colégio, de Luis Eduardo Matta (Ática) - 27 votos
Pistoleiros também mandam flores, de David Coimbra (L&PM) - 27 votos
Longe de Ramiro, de Chico Mattoso (34) - 25 votos
Casa entre vértebras, de Wesley Peres (Record) - 22 votos
Fugalaça, de Mayra Dias Gomes (Record) - 21 votos
Triângulo no ponto, de Eros Grau (Nova Fronteira) - 20 votos
O adorador, de Zeca Fonseca (Guarda-Chuva) - 20 votos
Paisagem com neblina e buldôzeres ao fundo, de Eustáquio Gomes (Geração Editorial) - 20 votos
Um rio corre na Lua, de Ruy Espinheira Filho (Leitura) - 18 votos
O roteirista, de Vinícius Pinheiro (Rocco) - 18 votos
O martelo dos deuses, de Felipe Machado (Artepaubrasil) - 17 votos
Ai, de Fábio Campana (Travessa dos Editores) - 16 votos
Será, de Ivan Hegenberg (Ragnarok) - 16 votos
Soldados do papel, de Miklós Palluch e Raul Paulo da Rocha (Ediouro) - 16 votos
A boneca platinada, de Álvaro Cardoso Gomes (A Girafa) - 15 votos
Nunca seremos felizes, de Jeferson de Andrade (Soler) - 15 votos
Odete inventa o mar, de Sônia Machado de Azevedo (Perspectiva) - 14 votos
Zig zag, de José Carlos Somoza (Relume Dumará) - 12 votos
Esquin de Floyrac - O fim do templo, de Z. Rodrix (Record) - 11 votos
Corpocorpo, de Marco Antonio Gay (7Letras) - 9 votos
Birka - Terras civilizadas, de Georgia Figueiredo (Escala) - 5 votos

sábado, março 15, 2008

Infiltração no ToaleteZona

Ô, seus macunaínas, estão manco-munados com a preguiça?!
Façam o favor de deixar comentários no blog, porque precisamos deles, pra melhorar, ajustar, definir, ou simplesmente movimentar nosso banheiro Mâe&Filha. Mas a preguiça também atingiu a família. Esta foi uma semana muito ocupada para nós duas e acabamos por deixar o sanitário assim mesmo sujinho, com calcinhas pelo chão...Mary Fê chegou a reclamar ali que era filha única e q tudo lhe caía sobre os ombros, sem ajuda. Então, genitora responsável, enchi box, privada e pia, com rolos e rolos, para passar o rodo na nossa sociedade. E espero não cansar vocês, meus queridos leitores e companheiros de mico e mictório.

Dêem só uma paradinha para se aliviar no Toalete Zona, e folhear nossas revistas, enquanto...a saber:

Em ritmo de eletrochoque, o maior Shokk cultural; Judy& Liza, em clipes insólitos na TV; Música Divina Música, a noviça rebelde se rebela outra vez; O 171 do 1808, a corte carioca merece um corte ou precisa de um novo corte de cabelos?!; a volta do Coro Come-come, dos anos 80 aos dois mil, passando por Vila Sézamo e o politeísmo grego; as certinhas de M&M ainda lá. E para ter um acesso, seja lá do que for, acessem - odeio este verbo internautês - as outras matérias, outros clipes e tudo o que você ainda não viu nesta quinta dimensão da demência. E comentem, comentem tudo, sem piedade. Nós suportamos críticas inteligentes. Mas elogios imbecis vão toillet abaixo!


Toalete Zona, o showroom da histeria!

Fush here and drop your comments:

http://toaletezona.blogspot.com/

sexta-feira, março 14, 2008

Sobre a frase postada no you tube, como comentário do vídeo do Bronsky Beat que fizemos eu e Pedro, e que perguntei, no post de baixo, a meus bons leit@res, Walter comentou:

"Spaciba" significa "Obrigado" em Russo..."Cakvaias pesneio" significa:"Que tipo de musica...""Kruto" significa "Legal"
Luis, eu nao falo russo,quem traduziu foi uma amiga de Montenegro que fala serbio, dai ela consegue entender a ideia mas ela disse que nao tem certeza do significado de "Kruto"Abracos,

e o Walter também disse no Orkut:
Walter:
Aquela frase do seu blog está em russo.Uma amiga traduziu e coloquei a traducao la no seu blog.

abraco

ao que respondi:
Luís:
oi, Walter, que legal!A frase foi um comentário daquele vídeo do Bronsky Beat que fizemos eu e Pedro, no youtube. Estranho que a rede mostra pra você letras que são outras pra mim, por exemplo, o que você traduziu como obrigado aparece pra mim escrito Kpyto.E os erres que aparecem pra mim, estão todos de trás pra frente, entende?Fiquei feliz de ser russo e não um doido que tivesse passado nos comentários...um beijo,

luís

E ele:
Walter:
Luis, a frase tambem apareceu com a mesma grafia pra mim.O que escrevi foi a pronuncia do cirilico(nao sei se assim em Portugues-o alfabeto russo)em relacao ao nosso alfabeto romano.A minha amiga que sabe ler cirilico e' que me ajudou...


E eu:
Luís:
pow, que interessante. Vou colocar toda essa explicação lá em meu blog...rs.obrigado.Ta tudo bem aí contigo?



E ele:
Walter:
Tudo bem por aqui neste fim de inverno...Veja abaixo mais informacoes sobre o cirilico:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alfabeto_cir%C3%ADlico


Ainda, no Orkut, Juçara me avisou:

♪JUÇARA:
Ontem, pela manhã, sua música "Maluca" tocava no pátio do Salesiano Santa Rosa, na sua voz..chiquérrimo! Bjus

quinta-feira, março 13, 2008

Спасибо! Какая песня! Круто!
Alguém sabe se isso está escrito em algum idioma e o que quer dizer?

quarta-feira, março 12, 2008

Bronsky Beat - Ain't Necessary So

Coloquei o disco Cassiopéia, da Clara Sandroni pra tocar.
Eu adoro essa primeira música, em castelhano. Também adoro a segunda, que é do Ivan Zigg, Louco por Você. Mas minhas caixinhas de som estão estourando os graves, que merda!
Coloquei baixinho, que não estoura.
Vou ouvir de novo a Louco por Você, que lindo!!
A terceira também é linda, Mary Sheley, da Mathilda e a quarta, do Baiano e dela, High and Low...a do chico Buarque...
Deve haver um jeito de equalizar essas caixas, vou procurar...não achei...acho que minha caixinha ta fodida...

terça-feira, março 11, 2008

Ontem, estive na casa do Naldo Miranda.
Vamos bolar um show juntos.
Fiquei animado.

segunda-feira, março 10, 2008

Pedro, ontem, quis comer um sanduíche no Largo do Marron.
Fomos a pé, de minha casa até à barraquinha.
Pegamos a Duque Estrada, onde, como em todo o bairro de Santa Rosa, estão a construir grandes edifícios de Classe Média alta e o bairro ta virando como um Icaraí.
Pedro disse:
- Ainda bem que temos a sua rua para morar, aqui ta ficando muito chique!
- Por enquanto...- eu disse, pensando que Nikity está virando, assim, uma São Paulo. E continuamos a pé, conversando na noite morna, tranqüilos e felizes.
Quando chegamos na barraquinha rodeada de pessoas a esperar pelos sanduíches feitos em série, industriais, vários barraqueiros na apenas uma barraquinha, de frente para uma cabine de polícia que tem no largo, eu fiquei nervoso, ansioso para comer. O cheiro das carnes, do baicon, da gordura, me encheu de saliva a boca e eu fui rapidamente querendo comer o meu, fui ficando aflito e Pedro me colocou num banquinho na beira da calçada e disse:
- Calma, fique calmo, vou pegar uma coca pra gente – e foi.
- Mas eu quero comer, Pedro. A coca vai esquentar até que chegue o meu sanduíche.
- Não demora, calma! – e, realmente, logo ele veio trazendo os sanduíches cheios de suco, de molho, gordurosos, quentinhos e esfumaçantes.
Comemos muito rápido, tomamos coca e viemos pra casa ver o Big Brother....
É isso.

domingo, março 09, 2008

Estivemos, eu e Pedro, na frente do cinema a esperar pelo Ciro, mas quando ele chegou, não quis ver o filme, preferiu nos levar a um bar que tinha conhecido.
Então fomos e, no bar, encontramos Edil, com sua irmã, e Sérvio.
Ficamos bebendo cerveja e conversando, assim, quase liricamente, porque estávamos felizes por nosso encontro, bondoso leit@r.
Chegaram outros amigos de Sérvio e sentaram-se conosco.
A irmã de Edil foi pra casa e, então, Ciro, cheio de ênfase, jogou nosso lirismo pra lá e começou a discutir capitalismo e socialismo no Brasil, com um dos amigos do Sérvio.
Era o fim.
Era tarde.
Estava na hora de virmos embora...
Ontem, passei o dia todo ressaqueado.
Que merda!
Vou na praia com Pedro.

sexta-feira, março 07, 2008

Meu amigo Ciro está hoje em Nikity e combinei com Pedro de irmos ao cinema com ele. Ciro atualmente está morando em Friburgo, mas o conheci quando morávamos no centro de Niterói.
Depois, Ciro foi para Copacabana, foi pra Londres e, agora, está em Friburgo.
Sobre seu apartamento de Copa é que falo nesse vídeo que Pedro fez comigo, ó:

http://br.youtube.com/watch?v=YXxKwg0mKO4

quinta-feira, março 06, 2008

Calorão em Nikity City.
Eu precisaria ter sido generoso ao extremo para que minhas brigas com meu sobrinho não perdurassem.
Mas não fui, não sou e... resultado, ele não dorme mais aqui, o que me dá grande alívio e a mamãe dá muita tristeza.
Ontem, eu e Pedro vimos um filme em que três rapazes vão, em viagem à Índia, buscar por espiritualidade.
No filme diz-se que forças agem a nossa revelia, e eu digo que a gente é como são as marionetes, bom leit@r, não existe decisão razoável, a emoção é que é a verdade e que manda.
Por isso é que gente reza, ora!

segunda-feira, março 03, 2008

Calorzão em Nikity City.
Com o meu sobrinho Rodrigo passando as noites aqui em casa, tenho me sentido com todas as minhas imperfeições à mostra. É que o bichano é espaçoso demais e eu acabo discutindo com ele. Mamãe fica arrasada. Ontem, brigamos outra vez...
Que coisa!

domingo, março 02, 2008

Manhã de domingo ensolarada e bonita.
Os vizinhos festivos ao lado transferiram a festa para o apartamento da frente.
Aos sábados fazem a festinha lá e ouvimos menos barulhos.
Ontem, queriam que eu fosse tocar, disseram:
- O artista tem de ir onde o povo está, certo? Promete que um dia vem tocar conosco? – e eu respondi afirmativamente, com um sinal de tinindo, com o polegar pra cima.
Depois, na minha cama e ouvindo a festa de longe, fiquei imaginando que eu estivesse lá, tocando.
Que coisa!