sexta-feira, agosto 29, 2008

Marcos Sacramento abrirá o show de Emílio Santiago, hoje, 18:30h, na Praça XV. Pedro disse que ele cantará minha música. Nós vamos....

quinta-feira, agosto 28, 2008

Ultimamente, tenho me sentido inquieto, como um animal de manada que vislumbrasse a aproximação do predador, assim, uma galinha no galinheiro pressentindo o cachorro brincalhão, a iminência de um temporal, uma coisa assim que me exigisse tomar uma atitude outra que não seguir o fluxo natural da minha vidinha mais ou menos, ta se ligando, bom leit@r?
Eu sempre tive essa sensação, mais dia, menos dia e ela volta, já me liguei.
Lembro-me de ter seis anos de idade e essa sensação me vinha, então, imediatamente, corria para a cozinha e pedia:
- Mããããêê! Eu quero um negócio! – ao que mamãe já sabia: me dava alguma coisa pra eu comer e parecia me satisfazer por um momento e me perdia outra vez no fluxo, ia brincar...
Eu sei que tenho de ficar zen, envolvido no volume de coisas ao meu alcance e seguir o plácido rio dos meus dias, porque não há mais que isso, bom leit@r, eu sei, não há cachorro brincalhão, temporal ou predador à volta. Ou se há, se eles estão em torno prontos pra agir, não há o que eu possa fazer e, talvez, a salvação mesmo seja que eu continue como estou a ir, bom leit@r, porque assim, se eu vou no bojo das coisas, fico mais forte, mais forte que ficar parado olhando, pensando, afastado, porque estarei junto, ligado ao movimento todo das coisas, se liga, uma andorinha só, voando não poooooode...
Por isso é que fui ensaiar, ontem, com Marcolino, o pocket show que faremos na segunda-feira no Arte Jovem Brasileira. Chegamos a um roteiro, veja:


Roteiro:

1- Fonemas – luís capucho/ marcos sacramento
2- Vai Querer? – luís capucho/ Suely mesquita
3- Máquina de Escrever – luís capucho/ mathilda kóvak
4- Maluca – luís capucho
5- Céu- luís capucho
6- Peixe – luís capucho
7- Eu Quero ser sua Mãe – luís capucho
8- A música do Sábado- kali c./luís capucho
9- Cinema Íris – luís capucho

terça-feira, agosto 26, 2008

Espaço Convés - Luís Capucho


Ontem, estivemos por cinco horas nos bancos de espera no corredor do Azevedo Lima.
Parecia que nós, eu e mamãe, vivíamos numa cidade em guerra ou, assim, numa cidade que estivesse passando por alguma calamidade, um acidente físico qualquer, em que os pacientes eram despejados pelos corredores do hospital e ali, com os poucos enfermeiros e quase nenhum médico, ficavam a esperar o recurso sem saber se viria ou quando.
Depois de cinco horas esperando, eu e mamãe decidimos vir pra casa.
Ela veio muito lentamente pelo corredor até à saída, onde alguns policiais faziam plantão, quando veio correndo para nós o rapaz que esperava, como nós, para que seu pai fosse atendido e batendo em meu ombro quase gritou:
- O médico acabou de chegar! – então, esperamos mais um pouco e fomos atendidos.
Hoje, pela manhã, refiz o curativo na perna de mamãe, segundo as orientações do médico. Vamos ver...

segunda-feira, agosto 25, 2008

Minha entrevista para o Programa Revista Brasil desse domingo foi limada na edição. Não devo ter dito o que se esperava que eu dissesse. Eu, mamãe e minha vizinha de janela ficamos esperando a hora em que apareceríamos (minha vizinha de janela também foi filmada no Campo São Bento, onde expõe seus quadros).
Quando o programa chegou ao fim, mamãe disse incrédula e brava:
- O que vimos nesse programa sobre Niterói? Aquela piranha arreganhada não te convidou para a entrevista e não disse que passaria hoje?
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

quinta-feira, agosto 21, 2008

Como eu disse para meus leit@res, deixei de fazer meu 2º disco em Sampa e comecei a fazê-lo com Paulo Baiano, que produziu o Lua Singela. Isso manterá certa unidade no meu trabalho com discos e é muito bom.
Lançamos o Lua singela no ano de 2003 e é muito legal ter a oportunidade de começar a fazer um segundo, estou bastante feliz com isso.
O estúdio do Baiano é o mesmo Home Studio de antes, mas com o algum avanço tecnológico que ele foi aos poucos adquirindo com a passagem desses cinco anos.
E também, não é mais em Santa Teresa, mas no charmoso prédio do cinema Odeon, na Cinelândia.
Em nossa primeira reunião eu, Pedro, Sacramento e Baiano, decidimos quais músicas, de início, estarão nele.
Não temos ainda uma ordem, mas serão as sequintes:

1- A Expressão da Boca - luís capucho
2- Pessoas São Seres do Mal - luís capucho
3- Os Gestos das Mulheres – luís capucho/ mathilda kóvak
4- Peixe – luís capucho
5- Cinema Íris – luís capucho
6- O Cigarro que Você Me Deu – luís capucho
7- Céu – luís capucho
8- Eu Quero Ser Sua Mãe – luís capucho
9- Atitudes Burras – luís capucho
10- A Música do Sábado – kali c./ luís capucho
11- Parado Aqui – luís capucho
12- O Motorista do Ônibus – luís capucho

quarta-feira, agosto 20, 2008

Eu tenho sido um leit@r muito, muito lento, embora esse devesse ser o meu norte.
Por isso, ainda estou às voltas com Leonardo Pataca e seu filho, que conheci na leitura do Era no Tempo do Rei, do biógrafo Rui Castro, livro que junto a meu Rato está a competir na
http://copadeliteratura.com
Depois do Era no tempo do Rei, comecei com Memórias de um Sargento de Milícias, do Manuel Antônio de Almeida, que fala dos mesmos personagens.
Sobre o meu norte, preciso com urgência, agora, de uns cds virgens e me perdôe o generoso leit@r, mas terei de ir na rua comprar.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

terça-feira, agosto 19, 2008

Estava lendo numa revista na casa do Pedro que um cara dos Beatles, ao ser convidado para a trilha sonora de um filme a respeito de William Blake, disse que não curtia a poesia inglesa e que não conhecia a poesia de William Blake, o que muito decepcionou ao roteirista, em se tratando de um poeta Beatle.
Quando da entrevista do Revista Brasil comigo, fui entrevistado como a um poeta. E a Crhis perguntou:
- Niterói inspira o poeta? – pensei, rapidamente, em dizer que eu não era um poeta, mas a pergunta me instigou e pensei nos poetas de um modo geral e mesmo que eu não fosse um leit@r assíduo, contumaz, de poesia e tudo, respondi que o inspirante eram as pessoas e fui me envolvendo com a resposta e terminei por passar por um poeta. E concluí:
- Niterói é uma cidade linda! Niterói é o Rio!
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

Vejam:
http://br.youtube.com/watch?v=YGlrLiXfjrA

O TIGRE

Tigre, Tigre, viva chama
Que as florestas da noite inflama,
Que olho ou mão imortal podia
Traçar-te a horrível simetria?
Em que abismo ou céu longe ardeu
O fogo dos olhos teus?
Com que asas ousou ele o Vôo?
Que mão ousou pegar o fogo?
Que arte & braço pôde então
Torcer-te as fibras do coração?
Quando ele já estava batendo,
Que mão & que pés horrendos?
Que cadeia? que martelo,
Que fornalha teve o teu cérebro?
Que bigorna? que tenaz
Pegou-lhe os horrores mortais?
Quando os astros alancearam
O céu e em pranto o banharam,
Sorriu ele ao ver seu feito?Fez-te quem fez o Cordeiro?
Tigre, Tigre, viva chama
Que as florestas da noite inflama,
Que olho ou imortal mão ousaria
Traçar-te a horrível simetria?

segunda-feira, agosto 18, 2008

Minha vizinha de janela, que faz quadros de Gigantismo, trouxe um suco de inhame pra eu tomar agora pela manhã. Mamãe não pode tomar o suco, porque uma amiga dela, da vizinha, disse que o inhame por ser uma raiz crua e tal e tal, não poooooooooode!
Enquanto eu tomava meu suco, que ela fez muito melhor que eu, porque mais gostoso, ficamos em torno à ferida da perna de mamãe fazendo considerações a respeito da bichana.
Ficamos falando coisas positivas a respeito, porque diante das coisas ruins temos mesmo tendência a dourar a pílula, todo mundo sabe. Mas a verdade é que teríamos de tomar providências melhores que ficar cuidando da ferida em casa e com os recursos que temos cuidado. E falando as coisas que falamos, não pooooooooooode.
Temos que ter uma atitude, bom leit@r, mas qual?
Aí, ficamos os dois ali falando da ferida e nos sentindo impotentes.

domingo, agosto 17, 2008

Pedro fotografou a entrevista que, no sábado passado, o programa Revista Brasil fez comigo na pracinha de São Domingos. Revista Brasil é um programa da TVE e passa aos domingos, às 17 horas. Num dos próximos domingos, Niterói será o tema e eu um dos artistas da cidade. Minha vizinha de janela disse que vai passar também a feirinha onde ela espõe seus quadros de gigantismo. Vai ser legal, imagino.
Fui entrevistado pela Cris. E é um pessoal muito bacana, bom leit@r.
Depois da entrevista eu e Pedro fomos dançar no São Domdom, que ta reformado e virou um lugar de dançar. Foi uma noite deliciosa.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!







sábado, agosto 16, 2008

Sábado lindo em Nikity City!
Ontem, quando fui tomar meu remédio, ele agarrou no fundo de minhas narinas.
O meu bom leit@r sabe que tive problemas com os nervos que comandam minha motricidade, depois do coma.
Daí, que meus músculos de engolir, que são os mesmos de falar, funcionam com um certo retardo. E, às vezes, engolir e falar, que o meu leit@r mais filosófico sabe serem a mesma coisa, falham.
O remédio que agarrou é aquele remédio das vaquinhas, o meu generoso leit@r deve ainda se lembrar das vaquinhas que se transformavam em lírios, em copos de leite...pois então, esses remédios têm um sabor como de pimenta e se eu não os engulo rápido, minha língua os degusta e eles queimam na bichana.
Por isso, porque suas cápsulas imensas agarraram no fundo de minhas narinas, amanheci cheio de dor ali, porque queimaram lá, imagino. Que merda!
Fora isso, estou começando a ter fome. Vou almoçar...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

sexta-feira, agosto 15, 2008

Depois do almoço irei nadar.
Há dias que saio de casa morto de preguiça, mas depois que nado, fico esperto.
Por isso, nunca deixo que a preguiça me faça ficar em casa.
Deixei de fazer meu segundo disco em São Paulo.
A Raquel foi super gente fina comigo, mas era uma idéia louca, fazer um disco, assim, tão distante. Tudo se torna mais difícil, eu acho.
Paulo Baiano, que produziu meu primeiro disco, produzirá um segundo.
E Marcos Sacramento fará a direção artística!
Vai ficar mais lindo que o Lua Singela, generoso leit@r, muito mais lindo!

Ah, o Lua Singela é mais lindo também!
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

Estou pensando no nome...hummm...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

quinta-feira, agosto 14, 2008

Amanheceu um dia chocho em Nikity City, com pouco sol, mas meus vizinhos acordaram animados, falando alto, e terminei por sair de minha cama um pouco mais cedo do que de costume.
- Tenho dormido tarde e acordado cedo com esse lance dos jogos olímpicos. A porra das competições é no caralho da madrugada! – gritou a minha vizinha do terceiro andar. O meu bom leit@r não estranhe, ela é uma garota criada no bairro e não sei porque fala palavrões ininterruptos, assim.
A conversa dela com a outra vizinha perdurou por um tanto de tempo e o vizinho de baixo gritou, brincando:
- Não tem uma roupa pra lavar, não?
- Tem, sim. Você vai vir lavar? – ela gargalhou lá de cima. E desapareceu dentro do apartamento, ficou quieta. Mas eu já tinha acordado e fui pra cozinha esquentar meu pote de café. Disse pra mamãe:
- Essa piranha de vizinha não tem noção de hora, não.
- É uma puta arreganhada – mamãe disse.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

quarta-feira, agosto 13, 2008

Nessa manhã, corre um vento delicioso e danado por minha casa.
E o sol está lindo, branco, de inverno.
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

terça-feira, agosto 12, 2008

Ontem, foi que reparei: os nadadores olímpicos não têm pêlos no sovaco. Será que porquê são anfíbios, os pêlos não nascem, porque são meio mutantes?
Achei bonito!

segunda-feira, agosto 11, 2008

Vejam que maravilha Sacramento cantando minha música na edição do Pedro:


sábado, agosto 09, 2008

Hoje umas meninas que fazem um programa na TVE, que não consegui ainda gravar o nome, chamaram-me para uma entrevista num barzinho de Nikity, tipo, de madrugada. A menina que me ligou disse:
- Queremos fazer um programa com os artistas de Niterói e queríamos te entrevistar – e marcou no São Domdom. Depois ligou outra vez, dizendo que no São Domdom iria ter uma noite de poesia erótica, hoje. Se eu tinha um outro bar pra sugerir.
- Não sou de bar, não sei o que sugerir, mas pra mim, tudo bem que tenha poesia erótica no São Domdom. Posso levar o Cinema Orly?
- Nós queremos falar de música...mas pode levar...- ela disse e desligou.
E ligou outra vez ainda para jogar pra mais tarde a entrevista, às 23:30h, o que pra esse blogueiro que vos escreve todos os dias, é madrugada.
Eu durmo cedo e acordo tarde, bom leit@r. Eu adoro dormir, é uma das maravilhas da vida, dormir.
Quando eu morrer, devo gostar...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

sexta-feira, agosto 08, 2008

quinta-feira, agosto 07, 2008

O meu grande problema existencial na vida aconteceu, quando eu, que sempre vim pela existência viajando sem pensar, tive consciência da força do tempo. Quando me dei conta dele, tudo parou, bom leit@r. E entrei em pânico! Porque tomar consciência do bichano me jogou pra fora dele, e de fora, eu fiquei parado vendo ele passar hahahahahaha...
De algum modo, isso ficou na grande maioria das músicas que faço.
Não a paralisia, mas um certo deslocamento de tempo: entro e saio dele, generoso leit@r, fico num zigue-zague.
Eu mantenho uma lógica, um sentimento, uma coisa assim, que a pessoa que me ouve nem percebe estranha, mas que um outro músico que esteja tocando comigo percebe e fica perdido.
Por isso eu preciso aprender a colocar as bichanas no click ou no sink.
Mas isso, preciso confessar a meu generoso leit@r, minhas músicas colocadas no sink, perdem a graça, ficam encaixotadas, escondidas, não podemos vê-la, se liga...
No fim, ta tudo certo...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

quarta-feira, agosto 06, 2008

O dia embruscou outra vez.
Fiz curativo na perna de mamãe e a ferida parece, finalmente, ter começado a regredir.
Hoje é dia de pagar o aluguel.
Irei mandar um Cinema Orly para Francinne, de Brasília!
Já está chegando a hora de saber se a Rocco vai publicar meu novo livro. Tou ansioso.
Marcos Sacramento, meu amigo de infância, que, a cada dia, canta melhor e melhor, está fazendo shows nos finais de semana nas Casas Casadas, em Laranjeiras.
O show está num formato excelente pra meu gosto: é apenas ele e o violão de Luiz Flavio Alcofra. E voltaram a apresentar minha música, Homens, que abre o show, onde são cantados os grandes da MPB: Noel Rosa, Chico Buarque, Ary Barroso, tudo. Também cantam músicas que eles próprios fizeram.
Sacramento, além de intérprete da pesada é um grande letrista.
Tenho orgulho de meus parceiros.
Pedro filmou e vai fazer uma edição bonita pro meu bom leit@r poder assistir.
Vou almoçar...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

terça-feira, agosto 05, 2008

Depois do dia embruscado de ontem, o dia voltou a ficar lindo, como estavam os dias do final de julho, e os passarinhos voltaram a gritar em torno a minha casa. Minha vizinha de janela está a dar sua aula de pintura, mamãe vê televisão e me sinto, em meio aos acontecimentos, cheio de preguiça, bom leit@r.
Iria fluir como um urubu sobre meu vale, mas em minha cama, no meu quarto, não fosse o estrupício do Guilherme estar no corredor jogando bola e soltando gritos de garoto. Que irritante, que merda!
Vou para o quarto de mamãe...

segunda-feira, agosto 04, 2008

Liguei para o SAMU outra vez.
Mamãe está melhor da ferida na perna e não quer ir para o hospital, mas liguei para pedir orientação.
Tentei falar com a mesma doutora que me atendeu segunda-feira passada e consegui. Seu nome é Dra Sheila e ela é muito, muito bacana. Depois, pedi a ela que falasse um pouco com mamãe no telefone. E ela disse a mamãe que ligasse dando notícia, segunda que vem...
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

sábado, agosto 02, 2008

sexta-feira, agosto 01, 2008

Minha vizinha de janela está entretida nos seus quadros gigantes.
Ontem, ela nos trouxe uma receita de suco de inhame, para que mamãe acelere a cicatrização de uma ferida que há mais de dois meses está aberta em sua perna.
Fiz o suco e gostamos.
Faz dias, liguei para o SAMU, mas a médica me disse que não valia a pena levar mamãe para as filas de espera pelos corredores dos hospitais lotados e que melhor seria que cuidássemos em casa.
E nos orientou sobre o que fazer...
Está melhor, mas devagar.
Mamãe disse:
- Não quero ir pro hospital. Porque quando estamos lá, é o mesmo que estarmos transformados em cachorro!
Ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!