sexta-feira, outubro 27, 2006

Bernardo deu-me uma outra camiseta, hoje, quando fui nadar.
E eu fiquei explicando sobre as roupas com que devo ir a certos lugares e, agora, ao lembrar de nosso papo, estou lembrando outra coisa, porque na piscina, também combinei com a Thaís de lhe enviar músicas minhas por e-mail.
Conversando com o Bernardo sobre as roupas com que devo ir em alguns lugares, eu lhe falei sobre a Daspu, sobre o funk e eu senti outra vez aquilo que tenho sentido n’algumas vezes, quando sinto que a gente faz sempre uma viagem sozinho, porque o universo de coisas que nos passa pela cabeça é só nosso e por mais que a gente esteja afim e tente demonstrar como ele funciona e como ele se dá, pros outros, é foda, ta se ligando?
Então, se a gente ta precisando de alguém, a gente tem de aprender a se mostrar e fazer alguém entrar dentro de nossa cabeça e assistir às coisas que se passam nela, com simpatia.
Ou, então, se faz uma viagem solitária, assim, esquizofrênica, sem precisar dividir o que se passa conosco, agressivo, muito na nossa mesmo, ta se ligando, bom
leit@r?
Sobre as roupas com que devo ir a certos lugares, se não estou bem com a roupa, ou não tenho a roupa com que ir, então, não vou. Vou pra outro lugar.
Ou fico em casa sozinho!
Que merda!

Um comentário:

Fabio disse...

Eu não compro roupa por isso que eu ando roto.

Tô sempre com meu velho jeans e camiseta, independente do local. As vezes me incomodo, mas na maioria das vezes eu não dou a mínima, sabia?

Abraço!