quinta-feira, janeiro 10, 2008

Mamãe caiu outra vez!
Desde pequeno, quando ainda morávamos no Espírito Santo, havia esses episódios de alvoroço em torno às quedas de mamãe. Lembro-me de suas quedas no quintal, estendendo roupa ou na beirada do tanque, de vê-la caída sobre os paralelepípedos da rua em frente à casa, gente alvoroçada em torno tentando levantá-la, gritos, tudo.
Devo confessar: mamãe nunca foi muito boa de corpo...rs.
Ficamos os dois muito nervosos e, caída, mamãe precisou tomar um frontal, bom leit@r.
A fragilidade de mamãe, com sua velhice, enche-me o coração de ternura e eu fico tão amável, mas tão amável, que o amor fez com que eu, hoje, conseguisse levantá-la do chão sem precisar que chamasse um vizinho para nos ajudar.
Mais que isso: minha doçura fez com que mamãe confiasse em minha força e me ajudasse, ela própria, a tirá-la do chão, deixando-a de pé.
É o amooooooooooor...

6 comentários:

kali c. disse...

ai meu Deus!!! Luís você não é mole... como está D.Luzia??? Está bem???

bjs
Kali

Fábio Shiraga disse...

Luis, você e Cazuza conseguem encontrar poesia nestes dramas do dia-a-dia...

Espero que sua mãe esteja bem.
Grande abraço.

Welter disse...

O que e' frontal,Luis?

léo disse...

Frontal é um calmante paulada, que aje rápido. Quando tive pânico, tomava quatro por dia, mais um, se precisasse,e dois anti-depressivos. D. Luzia deve fazer tudo devagarzinho, Luis, e mesmo assim, pode cair. Manda um beijo meu e da Cecília para ela.

Welter disse...

Obrigado pela informacao,Leo!

Drica disse...

Nada como o amor atuando livremente! a gente não pensa, sente e faz! aí a vida empurra a gente! haja força e energia! vc é mais forte do que imagina! é hora de ajudar os outros! beijos