sexta-feira, dezembro 24, 2010

Quanto às peculiaridades da língua escrita, com sua invenção, houve na história das tecnologias, a primeira vez em que o homem dilatou o tempo de recepção das mensagens.
Podia-se escrever e descansar.
Podia-se escrever “vai” e somente quanto tempo depois um receptor vir a sofrer sua influência.
Antes das tecnologias de gravação de áudio, no século XX, apenas através da escrita era possível a troca de mensagens fora do tempo real.
Mas, quando, acaso, houver tecnologia para trocar mensagens não somente daqui para um tempo simultâneo ou daqui para o tempo futuro, se, acaso, acontecesse a loucura ou o sonho de as mensagens, indo na direção inversa, puderem chegar também ao passado, para aqueles que naquele tempo estiverem ainda vivos e que, antes que morressem, pudessem recebê-las, sei lá, e as idéias pudessem se cruzar indistintamente e a teia de palavras, de idéias, a comunicação com mais fios, mais espessa, com mais cobertura, então, não haveria mais determinação.
Seríamos, assim, mais completos. Teríamos escolhas, seríamos livres.

Um comentário:

On The Rocks disse...

felicidades man!

abs