quinta-feira, fevereiro 13, 2014

Agora, leit@r, falta apenas um dos quartos, o de mamãe, para que terminemos de assentar o piso novo na casa. Terça-feira, quando eu já estava de volta de nossa viagem a Ouro Preto, Ari veio e colocou o piso no quarto da frente. Eu estava preocupado, se iriam combinar as cores diferentes que escolhi para cada cômodo. Mas deu certo, ficou bonito!
Sim, Mônica, em Ouro Preto, vi uma barbearia e quis cortar os cabelos.
Eram duas cadeiras em frente ao espelho. Numa delas havia um rapaz cujos cabelos eram cortados por um barbeiro mais jovem e, além do barbeiro, outro rapaz de pé, mostrando vídeos num aparelhinho desses de ver vídeos, talvez, um celular. Eles estavam zoando os vídeos que viam.
Eu sentei na cadeira vazia, pedi a um outro barbeiro mais velho, que tava ali:
- Gostaria de cortar meus cabelos muito curtos! – sim, ele disse e começou meticulosamente, detalhadamente, atenciosamente a cutucar os meus cabelos.
Aí, perguntou:
- Posso passar a máquina?
- Pode – eu falei.
E os rapazes da cadeira ao lado gargalhavam vendo os vídeos.
Eu, que era um estranho que adentrou ali e que sou um tanto paranóide, pensei “será que tanta algazarra tem a ver comigo? Que Coisa!”.
Eu tava muito cansado de febre, ressaca de febre. Quis fechar os olhos com o barbeiro me cutucando deliciosamente os cabelos, mas me mantive olhando pro espelho.
Vejam como fiquei:


4 comentários:

Alexandre Souzza disse...

Ficou bem num corte mais curto, mais moço. Sobretudo porque na foto anterior, no hospital, estava parecendo o Robert Mapplethorpe do final dos anos 80...

Luís Capucho disse...

...rs.

pedro disse...

Ficou lindo Luís!
Acho que vou passar máquina também.
Beijo,
Pedro Paz

Luís Capucho disse...

Se embora...rs.