sábado, maio 16, 2015

Eu durmo muito.
E com o tempo mais fresco, durmo mais.
E curto muito acordar e pensar que dormi demais, que estou descansado.
E, então, começar a pegar fogo outra vez.
Às vezes, o vento que entra pela janela do apezinho, me faz entrar em chamas na cama de solteiro, dormindo. Mas é pouco. A maioria do tempo de sono é apagado.
Enquanto estou vivo, estou muito concentrado, e não acho que eu esteja a perder tempo, quando durmo.
Quando estava no banho, vinha pensando que se eu não tivesse que tomar esses remédios, teria um pouco mais de vida, sei lá, sem sentir, eles vão minando a saúde da gente, vão deixando a gente menos aceso.
Então, mesmo que eu não faça nada, não sinto que eu esteja no desperdício com o tempo que ainda tenho.
Eu sei que posso fazer nada, que posso gastar o tempo da maneira mais leviana que eu queira, porque não tenho obrigação alguma.
Posso dormir muito e o vento entrando pela janela do apezinho pode me atiçar o fogo que quiser.

Fui.

2 comentários:

Moyses p disse...

seu blog é uma benção! amo muito. bjs

luiscapucho disse...

Valeu, Moyses!