segunda-feira, agosto 19, 2013

Quando cheguei a Niterói, no final dos anos 70, não sei como, descobri um cinema na pracinha de Venda da Cruz, onde eu conseguia entrar para ver os filmes proibidos daquela época.
Ontem, fui levar Pedro para conhecer o lugar.
A praça é bem menor de como eu a tinha na lembrança.
E no centro dela, fizeram uma cobertura, onde um bando de medigos estavam fazendo a hora do almoço.
Em torno à pracinha, uns botecos, restaurantes e três igrejas evangélicas, incluindo onde era o cinema, em que eu assistia aos filmes proibidos para menores de 18 anos.
Então, a gente entrou por umas das ruas de menos movimento que saía da praça e um quarteirão depois, já não estávamos em Venda da Cruz, mas no Barreto.
E, silencioso leit@r, o panorama de casas e ruas tornou-se completamente outro em questão de um ou dois quarteirões. Fiquei impressionado com a mudança de aspecto de tudo.
E a gente veio andando, conhecendo os lugares, conversando e, acredite, quando vimos, estávamos perto da ponte e decidimos vir andando até ao centro de Niterói, quando pegamos o ônibus pra casa.
Moral da Estória: igreja evangélica goleia de muito cinema proibido.
Eu e Pedro esperando o ônibus para Venda da Cruz:



2 comentários:

André disse...

Fui algumas vezes nesse cinema da Venda da Cruz, tinha um lanterninha que puxava da perna e atrapalhava a pegação kkk

Luís Capucho disse...

...rs.